segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O confronto entre o Cavaleiro das trevas e O Homem de aço


Na conclusão do trabalho de Miller, ocorre o ponto alto (embora seja difícil definir o ponto mais alto num trabalho que é excelente do início ao fim)da trama, com o confronto entre Batman e Superman. Atento às simbologias, o leitor não pode ignorar a gêenese do super homem, suas raízes inspiradas nas tradiçoes do Judaísmo, com seus mitos e herois. Idealizado por dois jovens americanos de origem israelita (Siegel e Shuster), Superman é o errante que abandona sua terra natal e ao chegar a um novo mundo adquire super poderes. Como gratidão, dedica sua vida a combater o mal, e busca a integração com o novo ambiente que o destino lhe legou. Kal-el, em Hebraico, significa "amigo de DEUS" e é interessante observar a concepção artística que a personagem sofreu ao longo do tempo. Ao ser criado, em 1932, o Superman personificava o mito do homem superior (em voga na época e apregoado por inúmeras teorias racistas, inclusive a do Nazismo), surgindo como o super soldado que defenderia um povo indefeso de um inimigo implacável. Ou seja, uma resposta dos judeus americanos à perseguição que surgia na Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário