sábado, 7 de janeiro de 2012

Poema Infantil

“Não tive filhos; não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria.”
M. de Assis


Criança do Alumínio

Flagelado famélico fruto
Da irresponsabilidade
Paisagem da cidade
Já na tenra idade
Ocupado em reciclar
Condenado a encarnar
O velho ciclo da vida

E busca nessa ida
Pelo beco ou avenida
O vasilhame vazio
Nada no chafariz
Come o que cai do nariz
Chama ao diabo de “tio”

De capeta a anjinho
Em fração de segundo...

Obscura pintura de nós mesmos
Vagueando a esmo
Pela margem do mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário